- PROGRAMA "DIÁLOGO ABERTO" -
Entrevistas sobre temas sempre importantes.
De segunda a sexta-feira, das 11 às 12 hs.
Produção: Terezinha Jovita
Apresentação: Regina Trindade
Ouça aqui: http://www.rtv.es.gov.br/web/player_radio.htm

domingo, 18 de agosto de 2013

Uma Proteção que Gera Lucros para Muita Gente



Fotos semelhantes a esta
são postadas nas redes socais
com grande frequência
para sensibilizar as pessoas que as veem.
De um lado, 
como disse uma das protetoras de cães, 
os protetores estão "aparecendo mais".
Do outro, há o favorecimento do crescimento de lucros no comércio de produtos para os animais.

















Num debate sobre o fato de mais postagens sobre a necessidade de proteção a animais, especialmente cães, estar sendo mais evidenciada por muitas pessoas do que a necessidade de debatermos mais causas humanas, uma dessas pessoas que se apresentam como protetoras de cães usou uma expressão que atraiu minha atenção. Ela disse que o fato de protetores de cães estarem aparecendo mais incomoda outras pessoas. 
Analisando esses casos, lembrei-me de outras causas de defensores dos direitos dos animais que anda sumidas. Embora o crime (que, para mim, é crime) continue ocorrendo em larga escala, quase não se houve mais falar, atualmente, naquelas denúncias contra a matança de elefantes por causa da comercialização de marfins. 
No ano passado, publiquei num dos meus blogs denuncias de que, se a matança de felinos selvagens (leões, tigres, etc.) continuar nos mesmos níveis em que estava naquela ocasião (e continua crescendo), em 10 anos não haverá mais felinos no mundo. Vi esta informação em apenas alguns jornais online. Nas redes sociais, não houve muitas postagens e compartilhamentos a respeito. Há alguns anos atrás, havia uma imensa campanha em defesa dos pandas, que também estava em risco de extinção. Ainda estão, mas atualmente isto não é tão debatido quanto antes. 
Depois que aquela moça disse, naquele dia, que os defensores dos cães (que acho que merecem ser defendidos, mas tanto quanto humanos) estão "aparecendo mais", lembrei-me de alguns detalhes. Não é comum alguém, no mundo, ter em casa leões, tigres ou elefantes. Gatos e cães, porém (principalmente os cães) já são, em muitos casos, considerados até como membros das famílias. E tenho notado também (pode ser só impressão minha, admito) que, no Brasil, as pessoas passaram a mostrar  seus cães em fotos, vídeos, etc., depois que famosos (atores, atrizes, cantores, cantoras, etc.) começaram a participar de programas de TV - "Domingão do Faustão" e outros - mostrando seus cães e cadelas e as proezas que os animais realizam. Influências da TV? Talvez, mas não posso afirmar. Será que essas pessoas que se dizem protetoras desses animais querem apenas notoriedade? Claro que muitas delas são realmente pessoas apenas sinceramente interessadas em defender os direitos dos animais. Porém, tal como não podemos dizer que todas querem apenas ganhar fama, também não podemos dizer que todas querem realmente apenas defender os direitos dos animais.
Por outro lado, essa proteção favorece um comércio que está se tornando cada vez mais lucrativo. A produção e a comercialização de produtos destinados aos animais, principalmente aos cães, tem crescido bastante. Esses produtos variam desde alimentos (ração, etc.) a medicamentos e até peças de vestuário para eles. Paralelamente ao desenvolvimento de lojas de vendas de animais, que os vendem a preços altos, muitas pessoas estão se dedicando ao recolhimento de cães abandonados para posteriormente oferecê-los como adoção. Porém, apesar de não ter que comprá-los, as pessoas que os adotam terão que cuidar muito bem desses animais. Fotos são postadas em grande quantidade na internet, especialmente em redes sociais como o Facebook, para sensibilizar as pessoas, pois os doares sabem que ter animais em casa gera gastos, e por isto precisam criar meios de convencer as pessoas de que os animais precisem ser adotados. Assim, apelam para os sentidos emocionais das pessoas.
"Cuidar muito bem" significa não apenas ter cuidado com a alimentação adequada para eles - as rações, e as de melhor qualidade são as mais caras. Significa também que, assim como nós, esses animais necessitam de cuidados médicos que incluem consultas periódicas a veterinários, necessidade de medicamentos adequados (e caros), etc. Não é muita coincidência o fato de que, enquanto crescem as manifestações em favor principalmente dos cães, também cresce o número de petshops nas cidades e o desenvolvimento das indústrias que geram produtos para eles, significando o enriquecimento comercial desse setor?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário.