- PROGRAMA "DIÁLOGO ABERTO" -
Entrevistas sobre temas sempre importantes.
De segunda a sexta-feira, das 11 às 12 hs.
Produção: Terezinha Jovita
Apresentação: Regina Trindade
Ouça aqui: http://www.rtv.es.gov.br/web/player_radio.htm

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A importância social dos mitos do passado e do presente

Nos dicionários da língua portuguesa podem ser encontrados vários significados diferentes para "mito", e todos são corretos, pois são decorrentes da complexidade da palavra. O importante é saber que todos esses significados convergem para o fato de que os mitos divergem das lendas porque, ao contrário destas, eles surgiram como representações simbólicas e simplificadas da realidade com o objetivo de tentar dar um sentido à existência humana. 
Desde a pré história, quando os humanos começaram a ser organizar socialmente, formando tribos, até os dias atuais, os mitos tem surgido para abordar temas universais e buscar respostas para perguntas como "Quem somos?", "Por que existimos?", "De onde viemos?", "Para onde vamos", e assim por diante. Em sua busca às respostas, criaram uma vasta série de personagens como deuses, heróis, monstros, dragões, fadas, gnomos, duendes, animais estranhos como a esfinge (ser com corpo de leão e cabeça humana), cavalos voadores (como Pégaso, o cavalo preferido de Zeus na mitologia grega), etc., que fazem parte de histórias cheias de aventuras e passadas de geração a geração. 

O sobrenatural como forma de explicar o natural

Como muitos mitos envolvem deuses e espíritos, a mitologia é muitas vezes erroneamente interpretada como algo relacionado a uma religião. Na verdade, segundo os historiólogos, há indícios de que a mitologia já existia como forma de explicar a realidade natural e os acontecimentos da vida real mesmo antes de existirem as religiões, as ciências, a filosofia e a literatura. Pode-se dizer que os mitos são os ancestrais das ciências. 
O mito não é uma religião nem uma filosofia, mas possui algumas características típicas de ambas para tentar explicar o que teria acontecido antes da história escrita ou antes e depois do surgimento dos primeiros seres humanos. Existem muitos mitos sobre a criação do mundo, o surgimento das florestas, dos animais, etc.  Os heróis mitológicos - como Hércules na Grécia, Gilgamesh na Assíria ou Sansão em Israel - são sempre personagens dotados de grande generosidade, extremamente corajosos e determinados que combatem ferreamente e vencem não somente humanos maus como também deuses malignos, monstros, etc. Isto é porque eles representam a honestidade, a sabedoria, o sentido de justiça, o amor e tudo que poderia ou deveria existir de bom num ser humano.
Os mitos diziam aos povos antigos quem eles eram. Tinham a função de identificação de um povo, uma civilização, uma nação, uma tribo. Ainda hoje, tanto os mitos tradicionais como os modernos constituem a base da moralidade e da identidade nacional. Nas antigas civilizações onde não havia diferenças entre Estado e religião, ocorria um círculo vicioso no qual a mitologia sustentava a religião e esta trazia mais elementos que reforçavam os mitos. Assim, embora mitologia e religião não sejam a mesma coisa, estão intimamente tão relacionadas entre si que uma não poderia existir sem a outra. 

Os mitos modernos

É claro que com o passar de tantos anos nada mais é nem pode ser como antes, e os mitos não poderiam escapar dessa regra. No decorrer do século 20 eles ganharam uma nova interpretação que votou a receber novos elementos a partir do início do século 21 por causa do avanço da tecnologia, dos novos valores religiosos e sociais, das mudanças radicais de comportamento das pessoas e por uma vasta série de outras razões sociais, religiosas, políticas, científicas, etc. 
A psicanálise moderna, por exemplo, interpreta os mitos como uma expressão do inconsciente coletivo. Segundo os psicanalistas, eles atuam nos níveis sociais de maneira semelhante como os sonhos atuam nas vidas das pessoas. Pode-se resumir isto dizendo que os mitos modernos são os sonhos de um povo. Porém, observando-se as sagas dos heróis dos mitos do passado, percebe-se que esta visão moderna não é assim tão diferente daquela, se interpretarmos os sonhos, neste caso, os anseios que os povos acalentam desde tempos remotos, por um mundo melhor, mais justo, etc.


Referências: "O Livro das Mitologias" - edição especial da revista Superinteressante - editora Abril - São Paulo, SP

2 comentários:

  1. esse texto me ajudou muito para fazer meu trabalho muito obrigado por ter me ajudado nessa pergunta blz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto-me honrado por isto. Grande abraço!

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário.